terça-feira, 12 de dezembro de 2017

DIVULGAÇÃO

SAIBA MAIS SOBRE

o que o

ESPAÇO TERAPÊUTICO MEMENTO VIVERE

pode lhe oferecer

Leia nossos artigos
Acompanhe os post's no facebook
Inscreva-se no nosso canal do youtube
veja também os post's no instagram


http://www.lembredeviver.com.br Tel 11 4582 5745 O Espaço Terapêutico Memento Vivere oferece atendimentos de: Acupuntura, Fisioterapia, Osteopatia, PNL, Barra de Access, MTVSS, Psicóloga, Nutricionista, Reiki, Yoga, Pilates. Avaliamos seu caso e indicamos a melhor terapia. Faça contato, inscreva-se no nosso canal do youtube e deixe sua pergunta, fale sobre o que você sente. Estamos na zona rural da cidade de Jundiaí e estamos formando grupos de pessoas que queiram evoluir, conquistar saúde plena e uma vida feliz e produtiva. Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/aszGGjSNTAk

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

COACH SAÚDE E BEM ESTAR

ENCONTRO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE

NO

ESPAÇO TERAPÊUTICO MEMENTO VIVERE


http://www.lembredeviver.com.br               Tel 11 4582 5745
Profissionais da área da saúde participaram de uma jornada de 4 meses para um treinamento de saúde e bem estar.
O último encontro aconteceu no Espaço Terapêutico Memento Vivere e foi um grande sucesso.
O objetivo foi alcançado, fora da metrópole em contado com a natureza e enriquecido de uma alimentação saudável.
Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/ONnpsmk2gqY

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

ESCOLA DO EQUILÍBRIO

ESCOLA DO EQUILÍBRIO

para aprender a construir

SAÚDE FÍSICA

SAÚDE MENTAL

SAÚDE EMOCIONAL



http://www.lembredeviver.com.br      Tel 11 97056 0742
Espaço Terapêutico Memento Vivere, acupuntura, osteopatia, psicologia, saúde sistêmica, thetahealing, coach pessoal, personal trainer, auto conhecimento, yoga, barra de access, PNL, enfim, aqui oferecemos técnicas e terapias diversas para você aprender a se olhar a se conhecer e conquistar a auto cura física mental e emocional.
Deixe seu comentário, inscreva-se, nos acompanhe no facebook e no instagram.
Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/_ZQFukXill8

domingo, 3 de dezembro de 2017

PROCRASTINAÇÃO

PROCRASTINAÇÃO

ANDREA PARENTE

PSICÓLOGA E COACH



http://www.lembredeviver.com.br Tel 11 4582 5745 Analogias da Psicóloga e Coach Andrea Parente para ajudar você a se entender neste mundo. Para tanto está nascendo a Escola do Equilíbrio, precisamos que você deixe seu comentário. Formaremos grupos para falarmos sobre problemas em comum. Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/7AyMhlmdwFk

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

O CÂNCER E A MICROFISIOTERAPIA


O CÂNCER E A MICROFISIOTERAPIA
Ao receber tal diagnóstico do médico parece que o mundo caiu! É o fim da linha... Acabou!
Mas hoje em dia, muitos recursos estão ao nosso alcance e são muitos os pacientes que após se recuperarem de seus quadros clínicos conseguem ter um nova visão da vida e suas vidas passam a ser muito melhores do que eram antes de tudo acontecer.
Alguns tratamentos, entretanto, para combater a doença fragilizam muito o indivíduo. O corpo está a todo tempo tentando manter seu equilíbrio e tratamentos químicos desestabilizam todo o meio.
A Microfisioterapia através de seus mecanismos tem como melhorar o funcionamento dos sistemas orgânicos. Dores e mal estar são diminuídos ou sanados. A parte emocional é muito importante também neste período e esta terapia ajuda muito na recuperação da pessoa.
A ação da Microfisioterapia é diretamente nas células e é de lá que o corpo tira a energia para se recuperar.
Pessoas de qualquer idade podem se beneficiar da Microfisioterapia, bebês, crianças, adolescentes e adultos, sendo a única contra-indicação à técnica pacientes em fase terminal. Isto porque é estimulada a força de cura do corpo, que é inerente ao ser humano. Quando se está numa fase terminal toda a força demandada pelo corpo serve apenas para a manutenção do essencial.

ANDREA PARENTE PALESTRA OS HOMENS SÃO DE MARTE AS MULHERES SÃO DE VÊNUS

ANDREA PARENTE

PSICÓLOGA E COACH

OS HOMENS SÃO DE MARTE 
AS MULHERES SÃO DE VÊNUS
E ESTÁ TUDO CERTO



http://www.lembredeviver.com.br          Tel 11 45825745
Os homens são de Marte as mulheres são de Vênus e está tudo certo.
Relações Humanas, como trabalhar os conflitos.
Pais e Filhos, casais, colegas de trabalho, patrão e colaborador.
Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/q2NoD3qBBQU

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

TDAH (ou DDA) x MICROFISIOTERAPIA


TDAH (ou DDA) x MICROFISIOTERAPIA


O que é o TDAH?
 Hoje em dia é muito comum ouvirmos sobre o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade nas ruas. Antigamente, lembro que as crianças com as características do TDAH ou DDA eram chamadas de bagunceiras na escola ou que ‘viviam no mundo da lua’.

Hoje em dia é reconhecido oficialmente por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O TDAH é o transtorno mais comum em crianças e adolescentes. Ocorre em 3 a 5% das crianças e, em mais da metade dos casos, o transtorno acompanha o indivíduo na vida adulta, embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos.

O TDAH é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.

SINTOMAS:
O TDAH se caracteriza por uma combinação de dois tipos de sintomas:

1) Desatenção

2) Hiperatividade-impulsividade
O TDAH na infância em geral se associa a dificuldades na escola e no relacionamento com demais crianças, pais e professores. As crianças são tidas como "avoadas", geralmente "estabanadas" e  “ligadas no 220”. Os meninos tendem a ter mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que as meninas, mas todos são desatentos. Crianças e adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento, como por exemplo, dificuldades com regras e limites.

NOS ADULTOS, ocorrem problemas de desatenção para coisas do cotidiano e do trabalho, bem como com a memória (são muito esquecidos). São inquietos (parece que só relaxam dormindo), vivem mudando de uma coisa para outra e também são impulsivos ("colocam os carros na frente dos bois"). Eles têm dificuldade em avaliar seu próprio comportamento e o quanto isto afeta os demais à sua volta. São frequentemente considerados “egoístas”. Pode estar associados a outros problemas como o uso de drogas e álcool, ansiedade e depressão.

CAUSAS:Estudos científicos mostram que portadores de TDAH têm alterações na região frontal e as suas conexões com o resto do cérebro. O que parece estar alterado nesta região cerebral é o funcionamento de um sistema de substâncias químicas chamadas neurotransmissores (principalmente dopamina e noradrenalina), que passam informação entre as células nervosas (neurônios).

A) Hereditariedade:
Os genes parecem ser responsáveis não pelo transtorno em si, mas por uma predisposição ao TDAH. A prevalência da doença entre os parentes das crianças afetadas é cerca de 2 a 10 vezes mais do que na população em geral (isto é chamado de recorrência familial).
Também na família do portador do TDAH existe maior incidência de depressão, transtorno bipolar (antigamente denominado Psicose Maníaco-Depressiva) e abuso de álcool e drogas.

B) Substâncias ingeridas na gravidez:
Tem-se observado que a nicotina e o álcool quando ingeridos durante a gravidez podem causar alterações em algumas partes do cérebro do bebê, incluindo-se aí a região frontal orbital. Pesquisas indicam que mães alcoolistas têm mais chance de terem filhos com problemas de hiperatividade e desatenção.

C) Sofrimento fetal:
Alguns estudos mostram que mulheres que tiveram problemas no parto que acabaram causando sofrimento fetal tinham mais chance de terem filhos com TDAH.

D) Exposição a chumbo:
Crianças pequenas que sofreram intoxicação por chumbo podem apresentar sintomas semelhantes aos do TDAH. Isto pode ser facilmente identificado pela história clínica do paciente.

E) Problemas Familiares:
Problemas familiares podem agravar um quadro de TDAH, mas não causá-lo.

TRATAMENTO:
O tratamento do TDAH deve ser multimodal, com psicoterapia, medicamentosa na maioria dos casos, e às vezes auxiliado por pedagogo.

A Microfisioterapia é uma terapia complementar que vai buscar a causa do problema e através dos estímulos terapêuticos estimula a auto-correção do organismo, reestabelecendo as funções dos órgãos e tecidos. Deste modo, minimiza os sintomas da TDAH, com diminuição da ansiedade, permitindo que o paciente se sinta mais concentrado e com menos agitação no dia a dia.
Crianças tendem a ter reações positivas mais rapidamente com a Microfisioterapia.

(Fonte: ABDA – Associação Brasileira do Déficit de Atenção e http://www.microfisioterapiaabc.com.br)

Atuação da Microfisioterapia na Síndrome do Pânico


Atuação da Microfisioterapia na Síndrome do Pânico


Aperto no peito, vistas embaçadas, medo, muito medo, olhava para o lado e parecia que a parede estava em movimento, e eu ali entre as paredes, o coração acelerado o ar que não vem, as pernas que tremem, parecia que não era real, transpiração a ansiedade aumentando.
Todos os dias a mesma situação, quero ir ao mercado e tudo começa no carro, liga o carro e inicia mais uma crise, medo, transpiração, ansiedade, pensamentos ruins que não tem fim, coração acelerado. Quando consigo chegar em algum lugar na maioria das vezes vem outro o medo, os pensamentos ruins começam tudo novamente.

Sair de casa não é mais diversão, ir trabalhar não é mais agradável, estar em um grupo de pessoas não é confortável, tudo dá medo, tudo dá angustia.

Chega ao ponto de não sentir mais vontade de sair, de conversar, querer ficar somente em casa e nada mais, pois tudo que se resolve fazer, dá medo, medo de uma nova crise onde estiverem.

Uma sensação de que irei ter um enfarte, muita angustia, muito medo, muito pânico, algo sombrio, agoniante.

Esse relato é de um paciente com Síndrome do Pânico, é assustador não é ? Mas existe algumas terapias que ajudam e até resolvem esse problema. 

A síndrome do pânico é um transtorno psicológico que se caracteriza pela sucessão repentina de crises de pânico e por expectativas ansiosas de novas crises, com variações de intensidade e frequência, há crises de pânico mais completas e outras menores com pouco sintomas.

Hoje conseguimos tratar de forma natural, procure novas formas de resolver esse problema, a Microfisioterapia é uma delas. Através da Microfisioterapia as causas do pânico serão detectadas, e "apagadas", então após a renovação celular, seu organismo passa a receber mensagens diferentes das novas células, pois as mesmas não possuem mais a informação das causas do pânico e , desta forma, seu organismo reage de maneira diferente, em busca da cura.

Todo diagnóstico deve ser feito por um profissional da área da saúde qualificado para tal procedimento, e nem todos os sintomas relatado acima deve ser considerado como essa Síndrome. 

Escrito por: Dra. Juliane Sandi

A Microfisioterapia na Depressão


A Microfisioterapia na Depressão

DADOS GERAIS
A Depressão é uma doença que atualmente aflige um número enorme de pessoas. Segundo a OMS, em 2030 poderá até mesmo ser a doença mais comum no mundo, na frente de algumas doenças cardiovasculares. Atualmente, mais de 5% da população mundial é afetada pela depressão, sendo mais mulheres do que homens. Embora esses 5% seja um número não muito fidedigno, pois boa parte de pessoas depressivas omitem seu problema e tem dificuldades de falar sobre a situação em que se encontram, tornando subjetivos os dados percentuais da prevalência da depressão na humanidade.
Suas características passam por alterações biológicas, cognitivas e comportamentais. Os principais sinais dessas alterações são as tristezas profundas, desânimos persistentes, falta de prazer em maior parte das atividades, dificuldades de raciocínio e de memorização, ideação suicida, alterações de sono e apetite, falta de libido, retraimento social, choros frequentes entre outros.
A Depressão de um modo geral possui diversas classificações, como a Depressão Maior, a Depressão Atípica, a Depressão Distímica, entre outros tipos que vão dizer sobre a frequência dos sintomas e como eles se manifestam. Porém, além de um diagnóstico, o mais importante é saber e ter o conhecimento da causa e os fatos que levaram a construção de um processo depressivo.
Para a Microfisioterapia, é muito comum que a Depressão seja causada por choques emocionais ou intoxicações do organismo. Essas causas fazem com que a vitalidade e o funcionamento celular se torne ineficaz para uma boa saúde física e mental.
A Técnica foi desenvolvida por franceses Fisioterapeutas e Osteopatas, que através da terapia manual tem o objetivo de reprogramar as funções celulares que foram alteradas e danificadas, alcançando benefícios tanto para o físico como para o psíquico.

O INTESTINO E A DEPRESSÃO
Também sabemos, conforme diversas pesquisas científicas atuais, que os estados emocionais possuem uma relação íntima com o estado de saúde do intestino. Estima-se que 90% da produção da serotonina, o principal hormônio pelo estado da felicidade, é produzido no Intestino, sendo que apenas 10% de sua produção ocorre no cérebro. Diante desse fato, é revelado que é de suma importância o cuidado com a nossa saúde intestinal. Lembrando que um dos problemas mais comuns de Intestino e que a maioria das pessoas tem e não sabem, é a perigosa Disbiose, que se caracteriza pelo desequilíbrio da qualidade e/ou quantidade de micro-organismos (bactérias, fungos, etc) presentes nesse órgão. A Disbiose pode ser causada por stress contínuo (picos frequentes de cortisol), uso de antibióticos ou uma alimentação inadequada. Esses 3 fatores são responsáveis por degradar a mucosa intestinal (membrana de proteção dos intestinos) causando o aumento da permeabilidade dessa barreira. Assim o órgão não consegue conter os subprodutos de alimentos e/ou substâncias tóxicas que consequentemente são lançadas na corrente sanguínea, podendo ser causa de diversas doenças, inclusive a Depressão.
A qualidade da microbiota intestinal (micro-organismos que vivem no intestino), interfere de forma direta nas manifestações das emoções, comportamentos e no modo de vida de uma pessoa. Pesquisas realizadas no Canadá, utilizaram dois grupos de camundongos de raças distintas, e com comportamento bem diferente uma da outra. Por meio de transplante, foram trocadas as microbiotas intestinais entre as raças de camundongos, e ambas mudaram drasticamente seu comportamento após o transplante, aderindo o comportamento do camundongo doador da microbiota. É claro que não podemos garantir que em seres humanos ocorreria a mesma coisa, porém as pesquisas em humanos estão sendo iniciadas. Temos como exemplo, uma pesquisa realizada na França, onde dois grupos de pessoas saudáveis foram avaliadas, após o primeiro grupo (grupo controle) ter ingerido barras de cereais que continham bactérias de duas cepas (funcionando como probiótico), e o segundo grupo (grupo placebo), ter ingerido barras de cereais sem as bactérias. O resultado foi que as pessoas do grupo controle, após alguns dias ingerindo as barras de cereais com bactérias, se mostraram mais felizes, menos ansiosas e menos zangadas comparadas anteriormente de ingerirem as barras de cereais. Uma microbiota intestinal saudável é tão importante que, na Holanda por exemplo, já são realizados transplantes de microbiota para o tratamento de diversas doenças, visto que está colonia de micróbios tem um papel fundamental em nosso sistema imunológico.
Se a Depressão estiver sendo causada por um desequilíbrio do Intestino, durante a prática da Microfisioterapia, o profissional pode perceber pelo toque manual, os bloqueios que geraram esse problema Intestinal e causaram um estado Depressivo. Descoberto isso, o terapeuta pode também, através de testes manuais, voltar na origem da data desse problema, aonde normalmente o indivíduo viveu contrariedades em sua vida, tendo dificuldades na assimilação da situação vivida (no caso do intestino delgado). Ou então no caso do Intestino Grosso em disfunção, o indivíduo viveu uma experiência percebida de maneira suja, onde não conseguiu expurgá-la, ou seja, teve dificuldades em se desvencilhar dessa situação suja, visto que a função biológica do Intestino Grosso é a eliminação da “sujeira”, e a função biológica do Intestino Delgado é a “assimilação” de nutrientes. Essas disfunções intestinais, normalmente, são acompanhadas de constipações e prisão de ventre, onde a pessoa acumula fezes por se tornar uma pessoa “enfezada”, ou seja, acumula sujeira tanto no campo físico como psíquico. Um intestino que funciona mal por uma causa de fundo psíquico, muitas vezes é confirmado pelas pessoas que fazem uma dieta equilibrada, fazem a ingestão de alimentos saudáveis e de fácil digestão e absorção, porém continuam com intestino preso e lento.
Descoberta a causa do distúrbio intestinal por conta de um situação vivida no campo psíquico ou físico, o Microfisioterapeuta informa o corpo através do gesto curativo, para que o mesmo realize as reparações necessárias e entre em processo de auto-cura.
A técnica tem por objetivo a reprogramação de funções em nosso organismo, de modo a colocar o sistema imunológico para trabalhar em prol do indivíduo e fazer com que o corpo encontre os mecanismos para eliminar as agressões físicas e emocionais que foram vividas desde sua vida fetal até a vida adulta. Quando falamos em agressões emocionais, frequentemente nos deparamos com a Depressão, que muitas vezes se caracteriza por um isolamento social. Esse isolamento é a criação de um mecanismo de defesa inconsciente para que a pessoa não venha a ter contatos e relacionamentos futuros, afim de se preservar e evitar uma nova agressão, sendo que essa mudança de comportamento é gerada na maioria das vezes pelo medo. Essa alteração comportamental por uma agressão, chamamos de “Proteção ou Programa Comportamental”, que seria um último nível de adaptação do organismo à um choque, seja esse choque de natureza tóxica, química, física ou emocional.
A Depressão é uma das patologias onde a Microfisioterapia atinge mais resultados, visto que o terapeuta consegue captar no corpo do paciente as diversas agressões que foram sofridas, e assim é aplicada a técnica manual para que aquela agressão seja eliminada. Quando falamos em captar no corpo uma memória agressora que ficou gravada e causou algum sintoma ou alguma patologia, estamos falando sobre trabalhar em um nível inconsciente, pois sabemos que de 8% à 10% das memórias ficam a nível do pensamento (consciente) e os outros 90% ou mais, ficam todas registradas no corpo (em órgãos, tecidos, células).
OS HORMÔNIOS E A DEPRESSÃO
Uma das principais causas de um processo depressivo é apontada pelo desequilíbrio dos hormônios, que são secretados e sintetizados por orgãos e glândulas, que geralmente apresentam suas funções aumentadas ou diminuídas para manutenção biológica do corpo e da vida como um todo.
Cada órgão ou glândula vai alterar seu funcionamento sob consequência de algum conflito, dentre os principais conflitos estão os choques emocionais, as intoxicações de diversas origens e de um modo geral, o estress. Esses conflitos fazem com que o corpo entre em um programa biológico, que é um mecanismo natural de defesa. Nesse programa, o Sistema Nervoso Autônomo, que é responsável por comandar os orgãos, vai priorizar a parassimpaticonia (diminuição e desacelaração das funções vitais e corporais \ processo negantrópico de regeneração celular) ou a simpaticonia (aumento e aceleração das funções vitais e corporais \ processo entrópico de desgaste celular). Esses mecanismos ocorrem para que o corpo encontre a cura e entre em homeostase (equilíbrio), porém, nesse processo os sintomas físicos e psíquicos podem começar a aparecer.
No caso da Depressão os desequilíbrios hormonais estão em evidência, visto que a sinergia de diversos hormônios estão diretamente ligadas ao nosso estado de humor, nossa felicidade, nossa disposição, nossa capacidade física e psicológica, capacidade cognitiva, libido, qualidade de sono e etc. Quando esse programa biológico perdura por um longo período, ou quando ele ocorre de forma muito aguda e intensa, os sintomas da Depressão podem começar a se instalar.
A Microfisioterapia tem uma atuação importante sobre as funções dos neurotransmissores que são responsáveis em gerar impulsos para as células de diversos tecidos para que estas secretem os hormônios, como a serotonina, a ocitocina, a dopamina, o cortisol, a adrenalina entre outros. Essas substâncias são indispensáveis para manutenção de nossa saúde física e psíquica. Quando as funções desses neurotransmissores estão inibidas ou hiperexcitadas, seus impulsos elétricos para a produção hormonal tornam-se diminuídos ou exagerados, e dessa forma, os sinais de mudanças comportamentais  se manifestam no indivíduo, visto que o desequilíbrio da sinergia hormonal interfere em nosso estado de humor, na forma como reagimos às adversidades, em nossos comportamentos e até em nossa personalidade.
Durante o tratamento pela Microfisioterapia em pacientes com quadro de depressão, é comum encontrarmos diversos bloqueios em orgãos ou glândulas, que são responsáveis pela produção e sintetização desses hormônios.
A Hipófise por exemplo, é considerada uma glândula endócrina mestra, pois produz hormônios fundamentais que irão exercer o comando sobre outras glândulas (tireóide, adrenal, testículos, ovários…) para que estas também fabriquem seus próprios hormônios. Em primeiro lugar e acima de toda essa cascata está o Hipotálamo, que é responsável por captar informações do ambiente exterior e através do Sistema Nervoso Autônomo secretar hormônios para estimular a hipófise. Nesse circuito, deve haver um balanço equilibrado para que diversas funções do organismo permaneçam em harmonia, caso contrário, nosso humor e nossas emoções irão entrar em um processo perturbado.
Essa castata hormonal se faz de modo rítmico, como uma orquestra. Um exemplo é quando o Hipotálamo secreta a corticotrofina (HCL) que por sua vez estimula a hipófise para que ela produza a adrenocorticotrofina (ACTH), e por final, esse último hormônio vai participar da produção do cortisol pela Adrenal. O cortisol por sua vez, serve de aviso para que ocorra a inibição da produção da ACTH e de HCL, e assim, o circuito consegue se manter em harmonia. Esse circuito citado, é realizado pelo eixo HPA (Hipotalâmico – Pituitário – Adrenal), que tem sua função sobre a regulação do STRESS e é o principal eixo pesquisado na área da psiquiatria e do comportamento humano.
Vários estudos forneceram evidências de que esses hormônios podem desempenhar um papel nos sinais e sintomas comportamentais da Depressão, como libido diminuída, apetite diminuído, alterações psicomotoras e distúrbios de sono.
Muitos pesquisadores também tem encontrado a relação da carência de vitamina D com a Depressão. Essa carência muitas vezes é causada pela privação da luz solar, o que pode ser a causa da “Depressão Sazonal”. Esse tipo de depressão é mais comum em países distantes dos Trópicos onde existe menos frequência e intensidade de luz solar. A vitamina D também está envolvida na síntese de serotonina e dopamina no cérebro, que são hormônios que em conjunto, auxiliam na diminuição da Depressão.
Outro estudo pressupõe que a prolongada superprodução de cortisol pela Adrenal pode danificar estruturas cerebrais (especialmente o hipocampo) essenciais para o controle do eixo HPA.  Os autores também concluem que as altas concentrações de cortisol podem alterar o funcionamento celular podendo levar a um grande número de enfermidades, e assim consideram que a superprodução desse hormônio contribui diretamente para muitas das sequelas comportamentais e psicológicas.
Na prática Manual, através de mapas embriológicos, procuramos no corpo os desequilíbrios dos Neurotransmissores que perturbam a produção dos hormônios, que damos o nome de Substâncias Ativas. O terapeuta vai procurar a perturbação, que se da pela perda de vitalidade tecidual, e quando localizar, ele aplica o gesto específico no local correto para que ocorra a normalização desse desequilíbrio neurotransmissor. Para fazer a procura do local sintomático, é necessário que o Microfisioterapeuta investigue 32 órgãos com o gesto palpatório. Esses órgãos podem nos dar informações neurais, musculares/articulares, sanguíneas ou do tecido visceral do próprio órgão encontrado. Também podemos saber se a patologia do paciente foi sofrida pelo ambiente externo ou se foi gerada pelo próprio corpo como uma resposta auto imune aumentada. Após o gesto corretivo, o próprio organismo se encarrega de realizar as ações para que os Neurotransmissores voltem a sua normalidade, gerando os impulsos necessários no controle dos hormônios para a melhora da Depressão.

Após a sessão de Microfisioterapia, o sistema imunológico irá fazer o seu trabalho para restaurar o organismo, e dentro desse tempo, algumas pessoas podem sentir algumas reações por um ou dois dias, como dores de cabeça, diarreia, irritabilidade, raiva, náuseas, sudorese, entre outros sinais. Após esse trabalho de eliminação do corpo, é natural que o indivíduo se sinta melhor a nível psíquico, com menos carga emocional, mais leve e mais feliz, facilitando também uma mudança de comportamento e de personalidade para melhor, e assim, evoluindo do seu quadro Depressivo.


Microfisioterapia e os Indicadores de Saúde: Sono e Insônia


Introdução: A Microfisioterapia é uma técnica manual que consiste em identificar a causa primária do sintoma e estimular a auto cura do organismo, está compreendida nos novos paradigmas das ciências da saúde, onde o foco é a saúde integral. O sono é um estado comportamental básico na manutenção fisiológica do organismo. Ele é necessário para a aprendizagem e para o processo de homeostase fisiológica. Por outro lado a insônia é caracterizada como o sono inadequado e/ou não-restaurador, com consequências diurnas, incluindo irritabilidade, fadiga, déficit de concentração e de memória.
Objetivo: O objetivo deste estudo foi identificar as possíveis alterações na qualidade do sono e redução de insônia utilizando como tratamento a abordagem terapêutica – Microfisioterapia.
Método: É um estudo transversal descritivo, realizado entre julho de 2013 e agosto de 2014, com pessoas que utilizaram a Microfisioterapia como recurso terapêutico, para a melhora do sono. Este estudo obedece todos os critérios do Comitê de Ética para este perfil de pesquisa. O instrumento foi uma avaliação qualitativa quanto à sua condição de sono antes e após a primeira consulta, sendo o critérios de avaliação: sono bom, razoável ou ruim e insônia. Qualquer outra abordagem terapêutica utilizada pelo paciente foi mantido pois, o propósito deste estudo foi identificar os resultados após a intervenção da Microfisioterapia, com ou sem qualquer outro tratamento específico. Foi utilizado para a análise descritiva dos dados o programa Excel 2007 para Windows. Participaram da pesquisa 172 pessoas.
Resultados: Os resultados apresentaram que das 172 pessoas avaliadas na primeira consulta, 80 (46,51%) referiam ter um sono bom, 32 (18,18%) referiram sono razoável, 29 (16,47%) sono ruim e 31 (18,02%) apresentavam quadros de insônia. Na segunda consulta esse valor se alteraram completamente, tendo um aumento no percentual de pessoas que referiram estar com um sono bom, 126 pessoas (73,25%), e inversamente, os valores de sono razoável, ruim e insônia tiveram uma redução entre a primeira e segunda consulta, sendo a redução mais expressiva a de insônia que apresentou diminuição de 13,96%, conforme tabela abaixo, caindo dos valores de 18,02% para 4,06% dos participantes.
Conclusão: Este estudo apresenta um indicativo de melhora na qualidade do sono após a Microfisioterapia, em especial para aqueles indivíduos que apresentavam quadros de insônia. Este estudo não levou em consideração outras medidas terapêuticas pois o propósito foi somente observar o efeito após a Microfisioterapia. Sendo o sono um dos indicadores de saúde e um processo importante na reorganização orgânico verifica-se que a Microfisioterapia pode contribuir para a melhora deste, podendo ser uma opção para os que buscam a manutenção da saúde e do bem estar ou para os que buscam tratamento para os quadros de distúrbios da qualidade do sono.
Palavras-chave: Microfisioterapia, terapias complementares; distúrbios do sono, insônia.
Keywords: Micro Kinesitherapie, complementary therapies; sleep disorders, insomnia.
Nome completo dos autores: Eliani Souza, Arruda; Cleisi da Cruz, Cazarim; Debora Martins de, Oliveira; Mariana Cristina Stockler, Mann; Manoela de Paula, Ferreira.

Microfisioterapia Mariana de Carvalho

Microfisioterapia
por
MARIANA DE CARVALHO

DIA 05/12/2017
no
ESPAÇO TERAPÊUTICO MEMENTO VIVERE



http://www.lembredeviver.com.br     Tel 11 4582 5745
A Microfisioterapia é uma técnica que identifica as causas primárias de sintomas.
Por meio de toques sutis o organismo é induzido a eliminar estas disfunções.
Liberta e ressignifica traumas.  
Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/TgxvsBYt_d8

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Andrea Parente Psicóloga e Coach - Escola do Equilíbrio

Escola do Equilíbrio

Andrea Parente
Psicóloga e Coach



www.lembredeviver.com.br       Tel 11 4582 5745
Encontrar o Equilíbrio na vida é a chave mestra para a felicidade.
Neste video Andrea Parente, Psicóloga e Coach fala um pouco sobre caminhos e ferramentas para conquistar o equilíbrio mental e corporal. Nos relacionamentos e para enfrentar os perrengues do cotidiano.
Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/1ugm39ogFMs

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Desenvolvendo o Frontal



Desenvolvendo o Frontal

Iniciamos na semana retrasada uma série de artigos nos quais apresentamos os poderes, dons, potencialidades e faculdades relativos a cada um de nossos chakras.
O primeiro artigo descreve toda a potencialidade do chakra coronário. Neste, seguindo a ordem, falaremos sobre o chakra frontal.
O chakra frontal está localizado entre as sobrancelhas. Como descreve Leadbeater em seu livro “Os Chakras”, o chakra frontal parece dividido em duas metades; uma em que predomina a cor rosada, ainda que com muito do amarelo, e a outra em que sobressai uma espécie de azul-purpúreo. Porém, quando visto com mais atenção, percebe-se que este chakra é composto de 96 raios, ou pétalas, divididas em 48 pétalas violetas e 48 pétalas rosas.
Quando desperto, este chakra nos traz a consciência espiritual, clarividência espiritual e clariaudiência espiritual.
Este é o segundo chakra a ser desperto e, para isso, é necessário em concentração projetar um disco metade rosa violácea e violeta em cima do chakra e emitir a vogal grega “éh” e o bijen  “ohm” sete vezes cada. A nota musical é Lá, que pode ser emitida por um piano ou por um diapasão no momento do exercício.
Envie suas perguntas, sua dúvida pode ser tema de uma próxima série de artigos.

por Ricardo Caselatt

terça-feira, 21 de novembro de 2017

O Reiki e o Despertar de Dons


O Reiki e o Despertar de Dons

Nossos chakras são portais de energia que ligam nossas consciências espirituais armazenadas em nossos corpos espirituais para nosso corpo material, além de cumprir a importante função de injetar prana, energia vital, em nosso corpo material, sem isso nosso corpo não se manteria vivo.
Cada chakra possui uma relação com cada faixa de vibração de cada um de nossos corpos espirituais. Assim, podemos despertar conscientemente, quando potencializamos cada um destes portais, os dons, potencialidades e faculdades relativas a cada uma destas faixas de vibração. Como por exemplo, quando desperto, o chakra frontal permite a visão do plano espiritual, a clarividência e a clariaudiência.
É importante frisar que se tenha equilíbrio neste processo de despertar. Pois, é necessário um despertar em conjunto destes dons e faculdades para atingir a verdadeira iluminação. Afinal, sem conhecimento espiritual, o conhecimento material descontrolado pode levar o ser à arrogância. Sem o conhecimento emocional, pode tornar o ser egocêntrico. Com dons despertos, como a terceira visão, sem a compreensão do que se vê, do que é percebido no exterior, pode levar o ser a loucura, e assim por diante. Sem harmonia, no despertar, podemos perder a oportunidade de ajudar os outros e a nós mesmos para um mundo de conhecimento e verdade.
Vamos começar, neste artigo, falando do chakra coronário. Em tese, devemos iniciar nosso desenvolvimento por este chakra. Quando desenvolvido, iluminado, ele nos traz consciência espiritual, estimula nossa memória e nos traz lembranças desta e de outras vidas.
Os chakras são portais de energia que vibram em determinada frequência, cores e, para despertarmos estes poderosos pontos de energia, precisamos estimular.
Para estimularmos o chakra coronário precisamos vibrar a nota Si (podemos usar um piano ou um diapasão para isso), emitir o bijen Auhm, e a vogal grega ih. Cada um destes 7 vezes enquanto projetamos a cor púrpura no chakra. Tudo isso em plena concentração.
Após feito esse trabalho de mentalização e energização, o reiki pode ser aplicado no chakra coronário para trazer harmonia e potência ao trabalho de mentalização realizado.
Semana que vem continuaremos trazendo mais informação a respeito dos chakras, suas potencialidades e como despertar cada um deles.

Por Ricardo Caselatt

domingo, 19 de novembro de 2017

ANDREA PARENTE Psicóloga e Coach

UMA ANALOGIA ENTRE DIAS NUBLADOS

E NOSSA VIDA



http://www.lembredeviver.com.br Tel 11 4582 5745 Analogia entre um dia nublado e nossa vida. Apaixonada pela profissão, pela convivência e pelo estudo dos conflitos humanos. Entende que a individualidade é a grande beleza do ser humano e tem como missão ajudar o outro a viver melhor consigo e com os outros. Seu vídeo será publicado em: https://youtu.be/OziEq9YKaDA

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Reiki - Cuide do seu Futuro


Reiki para tratamento de problemas do passado


Algumas pessoas quando pesquisam e lêem a respeito do Reiki acabam por compreender esta terapia de forma um tanto quanto limitada. O Reiki é uma técnica milenar que possui ferramentas importantes que possibilitam até mesmo o tratamento de problemas pertencentes ao passado da pessoa. Em alguns casos podendo atingir vidas passadas.
É comum em nossa vida sofrermos com traumas, dores e até mesmo com problemas físicos com os quais já nascemos e que nos incomodam de alguma forma. A origem destes problemas nem sempre as conhecemos mas, elas nos acompanham por toda nossa vida como marcas de guerra.
Um terapeuta reikiano com bom conhecimento e domínio da técnica, é capaz de tratar tais problemas, sendo do passado próximo ou mais distante. Como qualquer terapia, as sombras do passado são analisadas e tratadas. Com o avançar das sessões e da terapia, medos, traumas, dores, marcas e etc.. que possam ter relação com tais problemas, começam a se harmonizar, equilibrar e até mesmo a desaparecer.

Como isso acontece?

Ao contrário do que se parece, não é um procedimento invasivo, o paciente não precisa falar grandes detalhes e não se trata de hipnose. Apenas com a técnica correta, concentração, a permissão do paciente e com amor o terapeuta possui as ferramentas necessárias para fazer o tratamento de emanação de energia para aquele fato específico, trazendo maior harmonia.
A técnica proporciona a quebra do tempo-espaço e assim torna possível a terapia.
Conheça o Reiki. Com certeza esta maravilhosa técnica poderá auxiliar para trazer muito mais equilíbrio para sua vida.


Por: Ricardo Caselatt