sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Outubro Rosa

no espaço terapêutico Memento Vivere

01 de outubro

Vamos falar sobre a importância da alimentação e teremos um relato de quem venceu.
LIGUE - 11 4582 5745
(é necessário inscrever-se)


Espaço Terapêutico Memento Vivere

atendimentos:
Osteopatia, Acupuntura, Fisioterapia Esportiva, Nutricionista, Terapeuta.



sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Prevenir é possível
Vencer é possível
Conhecimento é fundamental

VOCÊ NÃO ESTÁ SÓ!
Por isso convidamos todos a participarem conosco deste mês de conscientização. 
Os profissionais que atuam no Espaço Terapêutico Memento Vivere ministrarão palestras sobre prevenção e cuidados relacionados ao câncer de mama.

Indicado para todas pessoas . Afinal esta situação aflige a toda família. Apoio é fundamental.
* Fique atento a nossa programação !


garanta sua vaga
envie um e-mail para 
spamementovivere@gmail.com

retornaremos informando se ainda há vaga.



terça-feira, 20 de setembro de 2016

WORKSHOP com o Psicólogo SIDINEI ROLIM

PLANEJAMENTO DE CARREIRA.
você também pode participar
NESTA QUINTA FEIRA DIA 22/09
Das 14 ás 17 horas
ligue - 4582 5745 e whats 99707 4030

Nossa carreira é nossa fundação
Precisa ser sólida e bem estruturada
Venha buscar ferramentas...


sábado, 17 de setembro de 2016


Karelin Cavallari - Nutrição funcional compartilhou a foto da Página Espaço Terapêutico Memento Vivere.: "Sempre bato na mesma tecla: não se prenda a padrão de beleza alheio, encontre a SUA BELEZA!! Aquela que mora aí, dentro de você!!! Foi assim que surgiu a ideia de unir uma equipe para te ajudar a entender o seu corpo, suas escolhas alimentares e orientar a mudança de padrão alimentar de forma definitiva, mantendo o prazer de comer aliado ao prazer de estar cuidando de você! Afinal quando você se cuida, você prova o amor próprio!!! "

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Protocolo Peso Ideal

Você consegue, não é uma ação solitária.

Abordagem em equipe multidisciplinar dos aspectos psicológicos, emocionais e energéticos com objetivo de alcançar e manter peso o ideal de acordo com a individualidade bioquímica de cada um.

Itens que serão trabalhados
- Afeto/ confort-food - Culpa: comer até o final/ “já que”
- Amor: para agradar o outro/ quem prepara
- Não reconhece fome/ saciedade (regras de horário/dieta)
- Saudável/ não saudável (alimento como vilão)
- Como se alimenta/ atenção plena / trabalhar as 7 fomes

VERIFIQUE SE NOSSA PROGRAMAÇÃO SE ENCAIXA EM SEU PERFIL
1. Mulheres 30-45 anos
 Gangorra de peso – não consegue manter.
 Ciclo de restrição/ compulsão.
 Saúde
 Sobrecarrega trabalho
Se para você dietas não resolvem, nós temos a solução ensinando a mudar a concepção frente ao consumo alimentar com suporte emocional (terapia e acupuntura) e biológico (nutrição).

2. Mulheres 20-30 anos
 Cuidado com corpo, auto-estima.
 Dietas restritivas/ corpo dos sonhos.
 Cuidar da saúde ou buscar estética?
Nosso objetivo é mostrar que dieta restritiva leva para gangorra, que o cuidar é mais eficiente e permanente. Veio de histórico familiar de dietas sem resultados (mães/ tias).

Agende uma avaliação sem custo AGORA.
LIGUE 45825745 fale com Augusta
ou envie e-mail para spamementovivere@gmail.com
vamos ser amigas no face - ESPAÇO TERAPÊUTICO MEMENTO VIVERE
VOCÊ CONSEGUE

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

ALIMENTAÇÃO INFANTIL
Nutri Karelin Cavallari

O fato de a alimentação influenciar no crescimento e desenvolvimento infantil não é novidade. No entanto, na correria do dia a dia, a escolha pelos alimentos mais práticos é frequente e, infelizmente, nossa cultura relaciona a praticidade com os alimentos de pacotinho de todo tipo: biscoitos, sucos, macarrão instantâneo. Com frequência assustadora, comida tem sido utilizada como compensação pela ausência dos pais e responsáveis ou como barganha, esses costumes modulam os hábitos para a vida adulta. Dessa forma, crianças que consomem com mais frequência alimentos industrializados do que frescos tendem a não gostar de consumir alimentos frescos também na vida adulta. Crianças que associam alimentos como recompensa tendem a descontar frustações em comida na vida adulta. E por fim, quando os alimentos são utilizados como barganha, a criança tende a associa-los a uma experiência negativa. Por exemplo, ao barganhar o consumo dos vegetais pela sobremesa, a criança pode associar o consumo de vegetais como negativo e apresentar maior resistência em consumi-los.
Nesse ponto, deve estar se perguntando como minimizar o consumo de industrializados e aumentar o consumo de alimentos frescos sem barganhar. O primeiro passo, e mais importante, é ser o exemplo. As crianças se baseiam nas atitudes dos pais e cuidadores, inclusive em relação às escolhas alimentares, por isso é importante fazer as refeições junto com a criança sempre que possível.  A recusa por experimentar alimentos novos é comum, mas não desista! É preciso apresentar esses alimentos diferentes de 8 a 15 vezes para que a criança se familiarize; ou seja, oferecer de diferentes formas e em diferentes ocasiões, de forma agradável e sem forçar para que a criança associe como uma experiência positiva.
Os alimentos altamente processados, como salgadinhos, bolachas, balas, refrigerantes e sucos artificiais contém grande concentração de açúcar e corantes artificiais. A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) estipula a quantidade máxima de corantes artificiais que pode ser utilizada nesses produtos, porém no consumo em grande quantidade pode ultrapassar esses valores, o que é frequente. O consumo desses corantes pode ocasionar diversas reações nas crianças, dentre elas hiperatividade, asma, falta de concentração e distúrbio de aprendizagem. Por isso, minimizar a oferta e disponibilidade desses alimentos para as crianças é tão importante. Uma estratégia na hora de escolher produtos para as crianças é ler o rótulo; os ingredientes estão listados em ordem decrescente, ou seja, os primeiros ingredientes estão presentes em maior quantidade. Prefira produtos em que o açúcar e gordura não estão entre os primeiros ingredientes e todos os ingredientes são reconhecidos como comida.

Crianças que crescem com alimentação baseada em comida de verdade se desenvolvem melhor, ficam doentes com menor frequência, tem melhor rendimento na escola e menor risco de desenvolver doenças crônicas na vida adulta. Por isso, cuide da alimentação das suas crianças. Dizer não para o excesso de guloseimas também é um ato de amor e cuidado, que visa saúde no futuro
ALIMENTAÇÃO INFANTIL
Nutri Karelin Cavallari

O fato de a alimentação influenciar no crescimento e desenvolvimento infantil não é novidade. No entanto, na correria do dia a dia, a escolha pelos alimentos mais práticos é frequente e, infelizmente, nossa cultura relaciona a praticidade com os alimentos de pacotinho de todo tipo: biscoitos, sucos, macarrão instantâneo. Com frequência assustadora, comida tem sido utilizada como compensação pela ausência dos pais e responsáveis ou como barganha, esses costumes modulam os hábitos para a vida adulta. Dessa forma, crianças que consomem com mais frequência alimentos industrializados do que frescos tendem a não gostar de consumir alimentos frescos também na vida adulta. Crianças que associam alimentos como recompensa tendem a descontar frustações em comida na vida adulta. E por fim, quando os alimentos são utilizados como barganha, a criança tende a associa-los a uma experiência negativa. Por exemplo, ao barganhar o consumo dos vegetais pela sobremesa, a criança pode associar o consumo de vegetais como negativo e apresentar maior resistência em consumi-los.
Nesse ponto, deve estar se perguntando como minimizar o consumo de industrializados e aumentar o consumo de alimentos frescos sem barganhar. O primeiro passo, e mais importante, é ser o exemplo. As crianças se baseiam nas atitudes dos pais e cuidadores, inclusive em relação às escolhas alimentares, por isso é importante fazer as refeições junto com a criança sempre que possível.  A recusa por experimentar alimentos novos é comum, mas não desista! É preciso apresentar esses alimentos diferentes de 8 a 15 vezes para que a criança se familiarize; ou seja, oferecer de diferentes formas e em diferentes ocasiões, de forma agradável e sem forçar para que a criança associe como uma experiência positiva.
Os alimentos altamente processados, como salgadinhos, bolachas, balas, refrigerantes e sucos artificiais contém grande concentração de açúcar e corantes artificiais. A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) estipula a quantidade máxima de corantes artificiais que pode ser utilizada nesses produtos, porém no consumo em grande quantidade pode ultrapassar esses valores, o que é frequente. O consumo desses corantes pode ocasionar diversas reações nas crianças, dentre elas hiperatividade, asma, falta de concentração e distúrbio de aprendizagem. Por isso, minimizar a oferta e disponibilidade desses alimentos para as crianças é tão importante. Uma estratégia na hora de escolher produtos para as crianças é ler o rótulo; os ingredientes estão listados em ordem decrescente, ou seja, os primeiros ingredientes estão presentes em maior quantidade. Prefira produtos em que o açúcar e gordura não estão entre os primeiros ingredientes e todos os ingredientes são reconhecidos como comida.

Crianças que crescem com alimentação baseada em comida de verdade se desenvolvem melhor, ficam doentes com menor frequência, tem melhor rendimento na escola e menor risco de desenvolver doenças crônicas na vida adulta. Por isso, cuide da alimentação das suas crianças. Dizer não para o excesso de guloseimas também é um ato de amor e cuidado, que visa saúde no futuro

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Texto da Nutri karelin Cavallari


Agende sua consulta (11) 45825745
veja algumas atividades no facebook - ESPAÇO TERAPÊUTICO MEMENTO VIVERE

E come o que?
Na minha infância não se falava tanto sobre alimentação saudável como atualmente, mas era difícil encontrar na rua pessoas que se destacavam pelo excesso de peso. A maioria das pessoas tinha um corpo simplesmente normal. E pareciam bem com isso.
Hoje o cenário é diferente. Nunca se soube ou falou tanto sobre alimentos saudáveis e vilões ou sobre o efeito deles no funcionamento do nosso corpo, seja entre profissionais de saúde ou na população em geral; e apesar disso, o numero de pessoas com excesso de peso aumenta a cada ano de forma preocupante. Só no Brasil, 52% da população apresenta excesso de peso, sendo que 18% está obesa. Não é contraditório saber tanto sobre a importância da alimentação enquanto a população ganha peso?
Parece contraditório, mas se olhar para o outro lado, vai perceber que existe uma explicação para esse quadro. Diariamente a mídia bombardeia a população com produtos de alta densidade calórica (refrigerantes, biscoitos, sorvetes, doces, embutidos) incutindo a ilusão de que o consumo desses produtos proporciona felicidade, a sensação de acolhimento e que oferecer esses produtos é um ato de amor. Por outro lado, coloca essa mesma felicidade atrelada a um padrão de beleza extremamente magro e torneado, criando um vinculo entre a sensação de realização pessoal e sucesso com a beleza física de um corpo “perfeito”. Observe que perfeito esta entre aspas – o propósito é destacar que ele não existe. Corpo perfeito é aquele no qual mora uma pessoa feliz e realizada com ela mesma.
Voltando ao assunto, percebeu a manipulação? Alimentos altamente industrializados e padrão de beleza extremamente magro são colocados como fonte da felicidade, mas eles não fazem isso. O consumo frequente de alimentos altamente industrializados é estressante para o funcionamento do organismo, pois são pobres em nutrientes e ricos em açúcar, gordura e aditivos alimentares – estabelecendo um quadro de carência de nutrientes e excesso de calorias, com maior risco de depressão, câncer, diabetes, hipertensão e ganho de peso. Enquanto isso, essa necessidade de atingir o padrão de beleza extremamente magro não é marcador de saúde nem de felicidade, pode até gerar estresse pela cobrança e sensação de peso na consciência no consumo de alimentos que são colocados como vilões. E peso na consciência induz ao consumo alimentar em compulsão e ganho de peso. Percebeu a bola de neve? Por isso, as pessoas ganham mais e mais peso a cada ano, enquanto a ciência da nutrição evolui rapidamente e de forma incrível.

Concorda que esse quadro precisa mudar? É um trabalho de formiguinha pela conscientização de que consumo alimentar e saúde estão fortemente interligados, mas padrão de beleza não. Cada pessoa é única, cada corpo reage de forma diferente aos estímulos, seja emocional, de exercício físico ou consumo alimentar. Entender os sinais do próprio corpo frente às escolhas alimentares é o primeiro passo. Prestar atenção no corpo e nas sensações que o consumo alimentar proporciona requer treino e boa vontade, mas você pode começar a colocar em prática hoje mesmo. Na próxima refeição, pense no que você gostaria de comer, olhe para os alimentos antes de colocar no prato. Experimente cada preparação separadamente prestando atenção na textura, sabor, temperatura. Você reconhece os temperos? Eles te trazem alguma memória? Aproveite cada segundo de prazer. Sem peso na consciência. Apenas aproveite. Nas horas seguintes, preste atenção no seu corpo. Foi fácil fazer digestão? Sentiu que houve distensão do abdômen? Teve sono? Todas essas reações estão ligadas ao consumo alimentar, quando você presta atenção nelas, você passa a escolher os alimentos para se sentir bem, não apenas para agradar o paladar. Mas se em algumas ocasiões escolher alimentos que apenas agradam o paladar, tudo bem também. Aproveite sem peso na consciência. O equilíbrio é a chave para a saúde.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Microfisioterapeuta  -  Dra. Silvia Pauleto

no ESPAÇO TERAPÊUTICO MEMENTO VIVERE próximo sábado dia 10.

O objetivo da Microfisioterapia é desencadear mecanismos de autocorreção para eliminar a memória celular dos traumas físicos, psíquicos e tóxicos que ficam registrados no organismo.
Segue abaixo meu curriculum:
Formação, Especializações:
- Graduação em fisioterapia – UNIMEP
- Pós- Graduação em Ortopedia traumatológica- UNIABC
- Pós- Graduação em Terapia Manual- CESUMAR
- Professora do Curso de Pós – Graduação da Escola de Terapia Manual e Postural
- Professora do Curso de Microfisioterapia


Formações internacionais:
-    Equilibration Neuro Musculaire, François Soulier / França.
- Microknesitherapie, Daniel Grosjéan e Patrice Benini – ACDM / França
- Leitura Biológica, Emmanuel Corbel / Bélgica
- O Universo, o Homem e o Animal, Josie Kromer/ França
- Leitura Biológica em Psiquiatria, Emmanuel Corbel / Belgica
- Psiquiatria e Sexualidade, Josie Kromer / França
- Método Glide de Terapia Manual, Mauro Jardim e Rogério Araujo.
- Formação em PNS Camada Epidérmica e Patologias Neurofuncionais / França
-   Formação em Dermoneuromodulação (DNM), Diane Jacobs / Canadá
ainda é possível agendar uma consulta
e-mail - spamementovivere@gmail.com
tel - 45825745

Facebook ESPAÇO TERAPÊUTICO MEMENTO VIVER